Arquivo

Posts Tagged ‘True Blood’

Vampire Diaries, True Blood, Glee, Gossip Girl…

16 setembro, 2009 2 comentários

hqpromotriocrow

Sabe aquela série que você assiste e já sabe que vai ser bomba? Então, essa era Vampire Diaries, diferente de “Melrose Place” ou “The Beautiful Life” outras série das CW que eu espero ou esperava muita ou pelo menos alguma coisa, para a vampiresca Vampire Diaries não tinha esperanças. E foi com esses pensamentos que eu assisti o piloto, realmente ela não tem nada de mais, além de é claro, captar a vibe de True Blood e Twilight, mas o elenco é fraco, a história é boba e os vampiros principais são ridículos como atores, além do vampiro bonzinho num clima super adolescente ser interpretado por um cara que poderia ser meu pai… ok, pai não, mas um tio de uns 30 anos.

Em Vampire Diaries o que pode ser que salve é a sua protagonista. Gostei da atriz. Mas como é uma série teen não duvido que eu logo odeie a mocinha, é claro, se eu continuar a acompanhar a série, coisa que provavelmente não irá acontecer.

***

Mudando de vampiros para Vampiros: A season finale de True Blood. Olha, não foi tão ruim quanto andam dizendo por ai. Teve muita coisa interessante e boa, mas é claro, ver o boi Bandido da Gloria Perez matando a toda poderosa Maryann foi ridículo, os menades são burros, não, sei lá… sem cérebro. Mas como o Sam era o boi/touro vou tentar apagar isso da minha memória. Igual a Izzie de Grey’s Anatomy cuidando do veadinho há algumas temporada atrás, essas coisas acontecem, te desculpo Alan Ball.

Depois, com o mistério acabando na metade do episódio (provavelmente o que gerou mais criticas) tivemos as outras resoluções, com direito a Eggs morto e Bill sendo raptado como o grande cliffhanger da temporada. Nossa, mas não parece que foi ontem que nós vimos aquele pé para fora do carro e tudo indicava que era o Laffayete,não?

Acho que só tenho mais um fato para comentar sobre a season finale de True Blood: Como assim o Andy Bellaflour é um simples homo sapiens? Ele passou a temporada inteira sem ser enfeitiçado pela Maryann e no último episódio ele passa de possível lobisomem à ser humano comum e chato. Peloamor

***

Enquanto Vampire Diaries começava e True Blood terminava sua temporada Glee apresentou seu segundo episódio. Eu confesso, eu sou um Gleek e tudo mais, por isso não vejo defeitos na série, mas vejo que ela pode assumir uma veia ingênua chatinha de mais, mas fazer o que?

Quando vi a versão da série de “I Say a Little Prayer For You” quase surtei, só seria melhor se não tivesse sido tão curta e até adorei de ver ela sendo cantada pelas cheerleaders. E a versão de “Take a Bow” então? Isso foi golpe baixo para derrubar qualquer um, até quem não sofre por amor. E é simplesmente por isso que eu gosto de Glee. Além de tudo a série tem a provável personagem mais cute-cute da temporada, a coordenadora. Sério, gente, as cenas dela não são as melhores?

***

Já em Upper East Side, onde tudo é diferente, Gossip Girl voltou. Foi bom? Não! Eu senti falta da série? Não. Por que eu assisti a premiere então? Boa pergunta, nem eu seu.

Contudo pude constatar algumas coisas: Dan e Vanessa merecem morrer. Joanna Garcia está uma belezinha da série. Bluck já cansou, tipo, muito. Lily faz uma tremenda falta para série. Jenny é a melhor personagem mais mal aproveitada da série. Essa coisa de Serena viaja, Serena volta com um mistério é uma tremenda babaquice, fora que nunca funciona. E algo astral (oi?) me fez gostar do filho da Lily com o Rufus, se ele odiar o Dan e não for sua nova versão, vou gostar ainda mais.

***

Ainda teen, a season finale de 10 Things I Hate About You! Acho que nunca comentei nada a respeito da série por aqui, mas ela é uma belezinha, tipo, extremamente belezinha. Só teve 10 episódios e arrasou, garantiu uma segunda temporada que eu mal passo esperar.

As personagens da série, diferente de todas as outras séries teens são tão humanas, é facinho se encontrar em uma das duas personagens principais. E na season finale tivemos a Kat fazendo uma aliança com a Chastity.  A Bianca beijando o Joey, a Chastity vendo tudo. E o Patrick e a Kat juntinhos (L) me falem que os dois não foram o melhor casal teen a atualidade?

Pois é, mal posso esperar.

Anúncios

True Blood – 2×10: New World In My View

25 agosto, 2009 5 comentários

feettb

Em “New World In My View” True Blood apresenta uma narrativa diferente da apresentada até o momento, não errou, até pelo contrario apresentou um dos melhores episódios da série. Muito drama, muitas revelações, muito caos e um pouco de menos tempo de exibição. A fórmula perfeita.

Sim, eu também preferiria um episódio com o tempo normal, de 50 a 55 minutos, mas vamos concordar que esses 44 minutos fizeram o episódio ter um clima diferente, muito mais dinâmico e que contribuiu para a perfeição que foi “New World In My View”.

O episódio acima de tudo marca o retorno de Bill, Jason e Sookie a Bon Temps. O casal saiu há alguns episódios da cidade e Jason não era visto desde o começo da temporada. Eu, particularmente, estava extremamente curioso para saber como iria correr tudo e agora estou ainda mais curioso para saber como tudo correrá, já que nenhum dos três personagens, além de Eric e sua trupe, tinham tido algum grande contado com Maryann. E tudo foi ótimo.

O primeiro conflito entre Bill e Sookie contra Maryann bateu minhas expectativas e aposto que as de todo mundo. Maryann é uma criatura tão poderosa que é capaz de envenenar até a um vampiro! Mas, o grande auge desse embate foi, com toda certa, Sookie tocando “Deusa” Maryann. Ainda ninguém sabe o aconteceu, mas será que Sookie descobriu um novo dom ou aquilo é somente efeito do contado de uma com a outra?

Esse episódio também fez surgir novas perguntas, já que além de Andy e Sam, o último como nós já sabemos é um ser sobrenatural, também Lafaeytte, Jason  e Lettie Mae, a mãe da Tara, também não são dominados pelos poderes de Maryann e como a finada Daphne disse, todos os humanos ficam sobre possessão, os seres sobrenaturais não.

Além do tempo de duração e o retorno dos que haviam partido de Bon Temps, o que também marcou foi o clima caótico de filmes de horror. Praticamente a cidade toda estava sobre poder de Maryann e atrás de Sam, todos com os olhos negros, fazendo sexo e contemplando o caos a todo instante.

Foi assim que Jason ressurgiu após ficar sabendo de tudo que estava acontecendo, segundo ele, seu tempo na Sociedade do Sol havia sido para isso, esse momento e foi com esse pensamento que salvou o Sam das mãos da cidade inteira.

Se alguém algum dizer que True Blood é uma série trash em excesso, estará reclamando de Jason, pois todos os momentos do personagem, apesar de terem sido ótimos, beiraram da perfeição aos filmes de terror B. Ou vão me dizer que aquele momento na porta, entre Bill, Sookie e Jason não foi de extremo mau gosto, ou ainda, enganar um cidade toda com chifres feitos de galhos de árvore não foi o cúmulo do telespectador burro? Mas é True Blood, é cabível, todos perdoam e poucos realmente ligam.

“New World In My View” também marca o ressurreição (pelo menos dentro da série) de Lafayette. Mas mais empolgante mesmo (pelo menos para mim) foi a reapariação da mãe da Tara. A personagem é demais e desde a trama do exorcismo da temporada passada, ela não ganhava grande destaque. Agora para ser sua vez novamente.

Já o cliffhanger da vez ficou por conta do Bill e a aguardada participação de Evan Rachel Wood como a tal princesa. E que momento foi aquele? Como sempre, o cliffhanger valeria pelo episódio caso ele não tivesse sido bom, o que não se encaixa em “New World In My View”.

O que não pode deixar de ser comentado são os minutos iniciais do episódio e o sangue de Eric fazendo efeito em Sookie. Eu já confesso, sou um shipper dos dois personagens. E além de tudo, as cenas de Anna Paquin com Alexander Skarsgård são muito mais quentes do que as com Stephen Moyer. Falei!

True Blood – 2×07: Release Me

3 agosto, 2009 7 comentários

godric

Cheio de cliffhangers e elementos que acrescentaram muito para a mitologia por de trás da adaptação de Alan Ball, “Release Me” foi perfeito, simplesmente o melhor episódio da temporada, cheio de drama, ação e porque não uma pequena dose de romance, encantou a tudo e a todos e só nos fez querer mais (como sempre).

Se no episódio passado eu disse que os comentários do “resto do mundo” foram exagerados (e realmente foram) neste todo mundo pode falar o que quiser, porque provavelmente todos os elogios serão poucos.

Começar por onde? Romance?! Neste episódio isso ficou a cargo de Jessica e Hoyt. Os dois nos deram um dos poucos, talvez o único, momento leve do episódio e eles estavam ótimos, encantadores. Eu já disse por aqui que sou shipper de Jessoyt ou Hossica (não importa o nome) e também já disse que eles são Sookie e Bill numa versão teenager e realmente são. Teenager, totalmente ingênua e nenhum pouco boring. Só do Hoyt não ficar repetindo o tempo todo que a Jessica é diferente dos outros vampiros já é um consolo gigantesco. Mas enfim, os dois foram cute e arrasaram em todas as cenas que apareceram com essa história “primeira vez”.

Fora Jessica e Hoyt o episódio praticamente se dividiu em outras duas storylines: A Sociedade do Sol e o Mistério da Maryann. Ambas também foram ótimas, mas não posso negar que A Sociedade do Sol conseguiu voltar toda a atenção para ela nos últimos minutinhos do episódio.

Enquanto Daphne era morta por Eggs e Maryann milhares de coisas aconteciam na Socidade do Sol. Mas sem sair de Bom Temps e continuando com Daphne, a personagem nos deu a maior dica que alguém poderia nos dar. Bem, se os encantos da Maryann não funcionam com seres sobrenaturais, somente em seres humanos e como existe mais alguém em Bon Temps além dela e do Sam não se encanta e participa das orgias da Maryann, significa que esse alguém, o Andy, não é humano. O que seria ele então? Eu aposto em lobisomen, o Sam vive os citando e nunca nenhum apareceu, essa seria uma boa chance.

Finalmente na trama da Sociedade do Sol. Aqueles últimos minutos de episódio foram salivantes, não? Jason levando um tiro, Bill preso pela sua criadora, Eric indo ao resgate de Sookie e Godric finalmente aparecendo. Alguém poderia querer mais?

Nunca esperei uma atitude daquelas vindo da Sarah. Um tiro no Jason? Até imagino o que se passou pela cabeça da personagem, para ela o Jason realmente é um infiltrado na Sociedade e só transou com ela para ridicularizar o pastor, ou algo assim, algo que fira sua “santidade” e que dê para o pastor a manipulá-la para tal ato. Porque, eu aposto que o pastor sabe da atraição.

Se houve um erro neste episódio, um único erro, foi esse: Bill e Lorena. Apostar que os dois renderiam juntos cenas boas trancados em um quarto e cheios de flashback foi um erro e olha que eu sempre elogio os flashbacks da série, mas também quando elogiei disse que era para ter cuidado e para eles não serem usados. Este foi o erro. Fora que os dois trancados em um quarto por causa de uma briguinha que transcende décadas é realmente boring, so boring e nenhum pouco palpável já que ela já o libertou, game over.

E enquanto Bill estava preso e Sookie em perigo, Eric tentou atacar de bom moço, mas mesmo antes dele chegar, o seu famigerado criador e salva a mocinha. O que esperar do Godric?

Categorias:Release Me, True Blood Tags:

True Blood – 2×06: Hard-Hearted Hannah

30 julho, 2009 3 comentários

TB_206_by.ADN[(071552)18-21-42]

Posso ser chato ou no mínimo ter um padrão de perfeição diferente do restante da humanidade, mas eu realmente não achei esse episódio a maravilha que andam dizendo por aí. Sim, o episódio foi ótimo, assim como 90% dos episódios da série, mas não passou disso.

Provavelmente o que comprometeu toda a magia foi o fato dos mesmos artifícios usados para chamarem a atenção nos episódios passados (até na temporada passada) terem sidos usados exaustivamente neste, mesmo que apresentando as maiores reviralvoltas e cliffhangers em um só episódio, tudo foi mais do mesmo.

Acho que nós já começamos com o passados obscuro do Bill, amo esses flashbacks mas somente quando eles apresentam algo de realmente novo, eu já sabia que o personagem havia sido um bad guy, você não? Depois nós passamos por uma personagem com medo dos vampiros hello? o Lafayette é o Jason da temporada passada?! Continuando com a sequência das mesmices, Sookie em perigo, só que o diferencial agora é o fato do Bill também estar em perigo. Alguém dúvida que o Eric irá salvar a mocinha da história? E por fim (ou não) o casalzinho in love da série. Jessica e Hoyt – por mais que eu os ame – são os novos Bill e Sookie, só que em uma versão teenager. Tudo bem que não tem como True Blood ser somente mesmice e esse episódio, bem pertinho do seu sinal, make me feel.

Apesar da Sookie estar em perigo não ser nenhuma novidade, eu ainda caio nessa e provavelmente é isso que faz de True Blood tão interessante, suas artimanhas batidas, por mais que sejam uma falta de criatividade gigantesca de Alan Ball e sua trupe, ainda tem efeito, ainda mais agora com o Bill em perigo. E como eu já disse, aposto que o Eric irá aparecer para salvar a situação e conquistar a admiração – para mais para à frente o amor – da mocinha.

Jessica e Hoyt também e apesar de tudo, make me feel, os dois são o melhor casal de True Blood, toda essa coisa teenager dos dois (Proibição da mãe, descoberta da sexualidade vampiresca e ingenuidade) é super cute. E eu já disse que a Jessica é a melhor personagem feminina da série? Se não disse, está dito!

A Sociedade do Sol é um dos pontos positivos do episódio, assim como de toda a temporada, mas não posso negar que somente agora eles me chamaram a atenção completamente e me conquistaram. Jason e a mulher do pastor, apesar de ser mais um “mais do mesmo” (lembrem do romance na temporada do personagem, mesmo!) rendem ótimos momentos e o amor dos dois parece ser tão real, algo meio puro e que apesar da traição e ir contra os mandamentos de Deus, acho que até ele aprovaria, ou não. Mas nessa storyline o que o auge realmente foi descobrir as verdadeiras intenções do Pastor (como se ninguém soubesse) e a construção do “conhecer o sol”. Ao melhor estilo de novela mexicana: “Conseguirá Godric escapar desta? Essa e muitas outras emoções no próximo episódio de True Blood”. Mas o episódio ainda não havia acabado e o melhor ficou para o final as usual.

Se eu houvesse apostado, provavelmente eu iria apostar errado, mas como eu somente comentei… A Daphne realmente é uma bad guy e True Blood encerrou seu episódio deixando o Sam no centro das atenções e respondendo quem é o minotauro e para a surpresa de ninguém ele (ela) é a Maryann. E como isso muitas perguntas ficaram jogadas no ar, mas a maior dela é: Como a Maryann recrutou o Eggs? – Neste episódio ficou claro que se Mehcad Brooks aparecesse em Dollhouse (novamente) agora sim ele seria uma doll, porque a Maryann fez algo para “apagar” sua memória.

A promo da 2ª metade da temporada de True Blood.

26 julho, 2009 3 comentários

São mais de uma hora da manhã, o blogueiro que vós fala já está com uma ligeira vontade de dormir, mas ninguém pode dormir sem essa! E se você não gosta de spoilers, mantenha-se longe, bem longe daqui.

A Comic-Con está parando o mundo nerd nesses últimos dias e em seu painel, além de várias novidades e pequenos comentários dos atores, True Blood apresentou uma nova promo, uma espécie de vídeo oficial da segunda metade da temporada e nela você verá milhares de imagens com uma dose cavalar de spoilers dessa próxima parte da temporada.

Nessa promo nós podemos ver que a guerra entre os vampiros e os seguidores da Sociedade do Sol irá começar e além disso, o Eric será capturado por eles. Já a Maryann irá ser confirmada como o “minotauro”. A criadora do Bill irá “possuí-lo” novamente. Sookie irá trair o amor de sua vida com o seu maior rival (?). O Sam se meterá em vários problemas. E muitos outros acontecimentos.

Amanhã Hoje será exibido o sexto episódio da temporada e nele provavelmente já serão vistos alguns reflexos do que está por vir e como nós podemos ver, nós não perdermos nada por esperar.

Categorias:comic-con, promo, True Blood Tags:

True Blood – 2×05: Never Let Me Go

22 julho, 2009 3 comentários

2x05-Never-Let-Me-Go-true-blood-7229072-1280-720

Duas coisas que eu disse aqui sobre True Blood eu terei tornar a dizer, primeiro: essa segunda temporada da série é milhões, milhares de vezes melhor que a primeira. Se minha memória não falha no quinto episódio da temporada passada a trama dos vampiros de Bom Temps começava a ficar boa, mas nessa já está tudo perfeito e quem assiste somente se delicia, sem preocupações. Segundo: Fãs do Jason, Eric e Lafayette me desculpem, mas o Sam é o melhor personagem da temporada!

As storylines de todos os personagens estão caminhando de uma forma tão sublime que é até espantoso. Por mais que reclamem da storyline da personagem da Michelle Forbes, a Maryann, a trama da personagem está perfeita.  Maryann é misteriosa na medida certa e suas atitudes, que são alvo das queixas de alguns, segundo a própria Forbes terá uma resposta lógica e isso só me faz ficar ansioso e ainda mais vidrado na trama. Aliás, quem não ficou vidrado na personagem após ver essa obsessão doentia que ela tem sobre a Tara?

Outra storyline que continua empolgando são Bill, Sookie e Eric em Dallas. Muitos acontecimentos e informações para os fãs dessa série vampiresca. Eu confesso que a Sookie já está meio que dando nos nervos, sabe, personagens idealistas demais cansam sempre, mas mesmo assim, Anna Paquin me anima em suas cenas, a atriz está ótima e esse novo telepata está dando um novo gás nesta ala e uma trama para a Paquin, porque ela não é somente a mulher de um vampiro. Além do mais, ainda em Dallas os vampiros capacho do xerefe da área nove parece que prometem, mas nada promete mais nesta trama do que o passado do Eric com o seu criador, o xerife da área nove.

True Blood sempre arrasa quando se fala em flashbacks, foi assim na temporada passada quando nós descobrimos por quem e como o Bill foi criado como vampiro e com o Eric não foi diferente. A cena foi ótima, a fotografia e o clima criado para aquela cena estavam perfeitos e fora que qualquer estória para o Eric já é demais, mas essa do seu criador (após o flashback) poderá estrapolar os limites de excelência da própria série.

Mas quem realmente está me fazendo sentir essa temporada é o Sam. A storyline do personagem está ótima. Enquanto seu passado está sendo revirado com a trama da Maryann, o seu presente com a Daphne é ótimo. Então ela é mesmo um metamorfo… acho que não sou só eu que desconfia da moça, não? Mas mesmo assim a personagem é ótima e toda vez que ela aparece sem roupa e sua cicatriz fica em evidencia é um momento tenso. A personagem foi atacada pelo minotauro, mas quais são as sequelas disso?

Jason é outro que está em forte evidência e agradando. Esses extremistas anti-vampiros estão demais, eu pensava que a história iria correr de uma forma totalmente diferente, que o Jason até teria mais contato com o Bill e com a Sookie, mas como a trama está se apresentando está ótimo. Outra coisa que ocorreu totalmente diferente do que eu havia pensando é a aproximação dele com a mulher do pastor, quem havia imaginado que ela iria chegar nele? Eu não…

E por fim o chiffhanger do episódio, a criadora do Bill no mesmo hotel que ele e a Sookie… próximo episódio, por favor!

bitch, i’m back

18 julho, 2009 3 comentários

Foram praticamente dois meses de “fã blog de Nurse Jackie”, alguns furos, como algumas season finales não comentadas, season premieres ignoradas, episódios a fio esquecidos e a falta da 2ª parte das minhas apostas os INDICADOS ao Emmy – as categorias de comedia -, mas acho que agora posso dizer que eu estou de volta e com muita, mais muita coisa para comentar.

>> É impressão minha a cada ano que se passa o Emmy Awards, o Oscar da televisão americana (frase clichê, hein?), fica mais bizarro? Esse ano, 2009, é o ano com as maiores bizarrices da premiação, já que alegando que seria “inovador” acrescentar um concorrente nas principais categorias, tudo acabou ficando na mesma.

As categorias femininas, que sempre são as melhores, ficaram idênticas as das outras edições, com uma diferença, uma nova indicada, mas acho que ninguém viu diferença alguma, ou viu? Eu só continuo procurando Katherine Heigl na lista de atrizes coadjuvantes de drama e me perguntando o que Sandra Oh, que não tem como ter tido uma submissão melhor que a da sua companheira de série está fazendo lá. E Michael Emerson então? E Lost? Nem os produtores da série acreditaram quando a viram entre os indicados. Grey’s Anatomy? Essa é outra que eu também estou procurando na lista de indicados. Fora que Mad Men e 30 Rock irão ganhar todas as estatuetas que estão concorrendo, então nem tem porque criar expectativa alguma. E Mad Men é boring, so boring.

Mas não tem como não ter ficado contente por algumas indicações, como: Aaron Paul, John Slattery, Hope Davis, Sharon Lawrence, Friday Night Lights e True Blood (em elenco), além de Toni Collette, Jane Krakowski, Jack McBrayer e Tracy Morgan, nas categorias de comédia.

Justin Timberlake, oi? Jennifer? Como vai sua vida após Friends e sua separação com o Pitt? Indicação de consolo? Imagina.

>> Sabe quando você vê uma coisa perfeita passando por você e indo embora? (compare com o que quiser) Mas é assim que eu estou me sentindo com Kings. Essa série está perfeita, beirando… Não sei, não encontro a palavras, mas é corrosivo saber que algo tão bom assim, está cancelado e em seus últimos episódios, agora só me restam a season finale dupla que será exibida nos dois próximos sábados.

Sabe o que é tão legal em Kings? Ver a construção dos personagens e ver quão todos são tão inescrupulosos. Ninguém, exceto o puro David, mede esforços para chegar aonde quer, até a princesinha Michelle andou pensando no que é melhor para ela e não compareceu a julgamento do amor de sua vida, claro, além de ter omitido que está carregando um bebê “milagroso” que ele é o pai. Também estou adorando o Príncipe Jack, o cara é tão bitch, traiu o próprio pai (que não vale nada), traiu a irmã, a mãe, o seu reino e a única pessoa que o faz sentir-se ele mesmo. Mas ninguém pode falar nada dele, a Rainha é a primeira bitch do reino, sério eu adorava a Katrina Ghent, não era para ela ter morrido. Maaaaaas, ninguém supera o Rei, nem “bitch” é, algo maior, em outro plano, ferra com todos, com tudo e numa cartada só.

E o final desse último episódio então? Príncipe Jack no comando! Mas até quando? O destino de David é ser Rei, estou até evitando chegar perto da Bíblia para evitar spoilers.

>> E o que falar de True Blood? Aqui no blog eu ignorei os três primeiros episódios, mas no twitter já cansei de falar sobre a série. A season premiere foi meio fraquinha, mas os episódios seguintes foram ma-ra-vi-lho-sos, novos bichos, seres, criaturas, enfim, uma dose de bizarrice deliciosa, palpável e bem feita. Não é atoa que essa 2ª temporada da série está milhares de vezes melhor que a 1ª temporada.

2x04-Shake-and-Fingerpop-true-blood-7149530-1280-720

Pergunta: Será que somente eu adoro o Sam? Jason e Eric vêm logo em seguida, mas é impossível não adorar o Sam, o personagem é tão COMUM, mas bem construído e interpretado, o poço de sanidade dentro da série (tudo bem que ele vira um cachorro, um cachorro super fofo aliás, mais fofo que o Vicent de Lost). Eu o adoro e vibro em qualquer cena que ele apareça.

>> Também andei assistindo Hung, sabe aquela série do garoto de programa da HBO e olhando a série, olhando novamente, eu sinto uma falta de Secret Diary of a Call – Billie Piper make me feel! – Não que Hung seja chata, ela só não é tão legal, falta algo, sabe a série parece uma coisa meio United States of Tara em alguns momentos, em outros parece Desperate Housewives, mas não agrada.

>> No meio de tanto drama e clima pesado, pessoas vendendo seu corpo, sangue e conspirações, eu dei espaço mais uma série mais leve, beeeeeem, mais leve. 10 Things I hate About You, a nova série da ABC Family (emissora que me medra) e não é que a série é agradável?! Não é uma maravilha, mas é bem leve e divertida, meio bobinha, mas ótima para passar o tempo, ótima. Adoro as irmãs da série, bem a cara de qualquer dupla de irmãs, ou irmãos ou casal de irmãos.

—–

Enfim, o blog está voltando à normalidade (pelo menos assim espero) e como a Summer season é super #fail não há como garantir muitas postagens, mas eu farei o possível, pelo menos com os episódios inéditos de True Blood e os da reta final (e também inéditos) de Kings. E além dos já tradicionais (pelo menos nesta época do ano) comentários sobre algumas maratonas de série e esse ano o negócio está bom, Breaking Bad, Friday Night Lights, The Closer e Ugly Betty, então, aguardem!