Desperate Housewives: Marry Me a Little (5×22)

Após a fatídica morte de Edie Britt, Desperate Housewives conseguiu manter-se em num bom nível de satisfação, no qual sempre algumas histórias agradam e o roteiro é bem divertido. E, este foi mais deste estilo, um típico episódio pós-morte de Edie Britt.

A única storyline perdida foi da Eva Longoria, a atriz estava bem, mas o roteiro não ajudou, até houve que momento emocionante, mas a trama foi totalmente descartável, claro, a não ser que resolvam deixar a personagem pobre novamente, mas se isso acontecer aguardem minhas críticas! Contudo nessa storyline um ponto ainda agrada: a interação de Eva Longoria com Madison De La Garza (Juanita), elas são muito boas juntas e rendem ótimos momentos, prova disso é este episódio e o episódio anterior, onde as duas estavam ótimas.

Seguindo por ordem de predileção agora vem a storyline de Susan Mayer que apesar de boa é inferior as demais, pois a trama de Susan não nos levará a lugar algum também, diferente da trama da Bree ou Lynette. Jackson foi deportado e eu sinto em dizer que já vai tarde! Marc Cherry disse que o personagem só ficaria se ele realmente agradasse, mas isso realmente não aconteceu, Desperate Housewives perdeu a mão para fazer personagens masculinos bons, nem me recordo quem foi o último, só sei que não foi um namorado da Susan, disso eu tenho certeza. Mas enfim, Jackson foi deportado no momento em que iria se casar com a Sra. Mayer e isso graças ao Dave, que ao invés de matar o personagem resolveu mandá-lo de volta para o Canadá e duvido que ele volte, além do mais agora o grande alvo do Dave torna-se novamente o filho de Susan, MJ e depois de tanto lenga-lenga posso dizer seguramente que é só esperar para ver.

Quem esteve envolvido diretamente na storyline da Susan foram Katherine e Mike, os dois andaram meio inúteis e só flertavam entre sí nos últimos episódios, mas neste episódio eles tiveram um pouco mais de ação. Foi bom ver a Katherine toda manipuladora, afinal essa foi sua apresentação à série assim, uma Bree 2.0, mas ainda assim me pergunto: Porque não mataram a Katherine ao invés da Edie? Dana Delany é ótima, mas era a Edie quem fazia personagens chatos como o Mike ou a Susan rederem e esse relacionamento da Kathy com o Mike já deu o que tinha de dar e duvido que produza algo bom.

Agora quem realmente agradou foi a Bree, ela que andou por alguns episódio sem apresentar nada de interessante, enfim ganhou um bom roteiro. O entrosamento de Marcia Cross e Richard Burgi é invejável, me fez lembrar os bons tempos de DH onde sempre havia uma marido fodão, espero que haja uma aproximação dos dois personagem e que o Orson suma da série, pois apesar da sua última cena do personagem ter sido boa, não consigo mais o suportar. E além do mais se todas as cenas entre Bree e Karl forem iguais as desse episódio (principalmente a primeira) eu não preciso de mais nada!

Por fim ainda tivemos a trama da Lynette que apesar de ser pobre teve a boa atuação de Felicity Huffman. Nessa storyline é possível ver mais um caso de marido que foi estragado, pois assim como o Mike e o Orson, o Tom tornou-se insuportável! Será que aquela troca de casais que estava sendo proposta ainda está de pé?

Enfim, este foi o penúltimo episódio da temporada da 5ª temporada de Desperate Housewives, satisfatório e ponto. Agora só nos resta esperar pela season finale dupla e como andei lendo alguns spoiler, ela pelo menos promete ser realmente boa.

  1. Amanda
    14 maio, 2009 às 3:01 pm

    Adorei tbm o entrosamento da Marcia Cross e Richard Burgi. Estou rezando p/ q o Marc Cherry ñ faça dele seja mais um ‘marido estragado’. Odeio qdo ele faz isso. Tbm odeio a falta de atenção do Cherry c/ a personagem da Felicity. Nesta 5ª temporada, os storylines dela foram fraquíssimos. É revoltante ver uma atriz brilhante como ela ser tão mal aproveitada assim!!!

  2. 14 maio, 2009 às 7:52 pm

    Ainda tenho saudades das boas e velhas Bree e Lynette, mesmo com a sobrevida na trama de Bree ainda se encontra longe de seu auge, os roteiros tem que melhorar e muito, tenho saudade daquela Bree controladora e aquela Lynette guerreira e batalhadora…
    Por isso digo mesmo que a storyline de Gaby esteja perdida ela ainda consegue ser a personagem que mais me agrada nesta temporada, suas cenas com sua filha Juanita sao as melhores.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: