Grey’s Anatomy: Sweet Surrender (5×20)

Cheio de metáforas “Sweet Surrender” mostra que derrota não é uma opção, que a rendição não é aceitável e além do mais que essa melhora de Grey’s Anatomy não é temporária.

Considero toda storyline armada para o T.R Knight o maior sinal dessa renovação da série, pois ele passou toda a temporada esquecido, vivendo a sombra dos outros personagens, mas agora ele se aproxima do McArmy e mostra-se até mais eficiente que o Karev, que até então era o garoto dos olhos do SGH. E como foi boa a trama dos dois personagens neste episódio, não? Paciente suicida, briga de egos e a descoberta do talento escondido do O’Malley, o trauma e a convivência sob pressão, que indica que o personagem seria o mais apropriado para viver com a Izzie, já que nela está toda a pressão da série.

E por falar nela na personagem, Katherine Heigl deve estar dando pulinhos, pois se na temporada passada havia faltado uma boa storyline e por este motivo ela não havia mandado sua predicação ao Emmy, nesta temporada está sobrando motivos para ela ser indicada. A personagem (ou atriz) soube nos emocionar, mas também nos fazer rir e sua trama se mostra uma das mais promissoras, ainda mais agora com os efeitos da quimioterapia tão evidentes. Será que vai rolar uma cena lá Carolina Dieckmann em Laços de Família?

Contudo e apesar da Katherine estar tendo uma ótima storyline e consideravelmente “sofisticada” quem está se mostrando mais eficiente e com uma trama simples é Chandra Wilson. Essa aproximação da personagem para com a pediatria está sendo brilhante e totalmente emocionante e quem ganha com isso é a série. Já que como a nova amiga da Bailey, a Dra. Arizona disse a pediatria não é só pegar um bisturi e cortar, é mais que isso, esse ramo da medicina mexe com a emoção e no caso de Grey’s, com a emoção de quem assiste.

Contrapondo-se a toda emoção das storylines citadas acima tivemos Callie e Arizona com a visita do sogro da Dra. Robbins que em um surto queria levar a filha, Dra. Torres, para Miami. E no fim de tudo, Callie, que se encontra mais feliz do que nunca, fica em Seattle e é deserdada! Os momentos dessa trama foram bem interessantes, Sarah Ramirez falando espanhol foi demais, mas com isso penso que a personagem ficaria melhor com o Mark Sloan, pois apesar das duas garotas fazerem um casal interessante, discordem que a Sarah não tem mais química com o Eric Dane. E além do mais, discordando de todo mundo e apesar da Dra. Arizona ser uma ótima personagem, eu preferia essa trama lésbica na época da Dra. Hahn, mas a storyline ainda está agradável, contudo não tanto como antes.

A outra trama mais relax do episódio foram os preparativos do casamento da Meredith e a reaproximação do Derek com o Mark e esse dois são piores que um par romântico de novela das oito, mas também em reflexo a isso e todo esse circo armado para a reaproximação dos dois quem acabou se aproximando também foi Lexie e Meredith, e com isso a Mini-Grey irá ser uma das madrinhas de Mer.

Voltando a última parte tensa do episódio tivemos McArmy e suas sessões com a ex-psicóloga da Meredith e não sei se é porque já estamos na reta final da temporada, mas isso também empolga. E até que o personagem não fique bem, a Yang irá ficar sem nenhuma trama, então que isso seja logo!

  1. Lucas Santtos
    27 abril, 2009 às 11:29 am

    Rapaz foi um grande episódio não foi ? Eu vou postar meu review a tarde, mas já li o teu e está otimo. Izzie está realmente tendo seu momento depois de ficar apagada na temporada passada, mas assim como você também concordo que nesse episófio quem roubou a cena foi Bailey e a trama da pediatria, aquilo foi perfeito! Sobre o case Callie e Arizona tb gostei, novamente concordo quando vc disse que o caso era melhor com Dra. Hahn. Foi um excelente episódio, citei em meu review que estava esperando um pouquinho mais, porém o que veio foi totalmente suficienteee! Abraços! Parabens pelo texto!

  2. 27 abril, 2009 às 12:53 pm

    Esse episódio foi sensacional. Só Cristina que ficou um pouco esquecida, mas com a decisão de Owen se ajudar, com certeza ela aparecerá bastante no futuro.
    A volta de George em evidência foi sensacional, o rapaz parece ser mais frio e calculista do que muitos médicos dali, mais do que Karev, pelo menos em situações de pânico.
    Izzie está tentando permanecer forte, mas a quem ela está querendo enganar, se há possibilidade de esperança, nesse caso, o sofrimento é obrigatório.
    Meredith é um caso a parte. Ela está simplesmente na sua melhor fase, principalmente no lado emocional.

  3. 28 abril, 2009 às 12:05 am

    Ainda que “Sweet Surrender” não esteja entre os melhores da temporada (é muito bom, mas não espetacular), também acho que serviu para provar que essa boa fase não foi coisa passageira. Que continue assim!

  4. 1 maio, 2009 às 11:48 pm

    Sweet Surrender foi um bom episódio, e concordo com muitas coisas que vc disse, principalmente com um Emmy para a Katherine. Mas discordo sobre a relação da Callie com a Arizona, prefiro muito mais elas do que quando a Callie estava com a Hahn. Pq toda a vez que eu olhava pra ela lembrava do episódio 17 seconds!

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: