Início > Balthazar Getty, Brothers & Sisters, Brothers and Sisters, Calista Flockart, Matthew Rhyns, Ojai Foods, Patricia Wettig, Rob Lowe, Walker > Brothers & Sisters: “Glass Houses” (3×01) à “Missing” (3×20)

Brothers & Sisters: “Glass Houses” (3×01) à “Missing” (3×20)

6db8a5fe8d23dab0_brothers_and_sisters_series_3_uk_air_date_8_jan_2009

Ao longo de três temporadas “Brothers & Sisters” foi tomando vários rumos, alguns fatos e acontecimentos foram deixados para trás e algumas situações foram sendo construídas em cima disto e agora com alguns acontecimentos de temporadas passadas ganhando reflexos e a série de Jon Robin Baitz nunca se apresentou tão tensa.

“Brothers & Sisters” acima de qualquer coisa fala sobre as reações humanas e como esse humanos são capazes de fazerem besteirsa ou coisas erradas e às vezes saírem impunes ou deixando que os outros paguem por seus erros.

O grande malfeitor da série mesmo que meio mascaradamente é William Walker já que logo após sua morte foram descobertos inúmeros podres do pai que aparentemente era perfeito, os filhos ilegítimos e os problemas financeiros na empresa da família são somente o começo, mas também o mais pesado. E é incrível observar que após três temporadas essas tramas ainda estão presentes, mesmo que mutadas, contudo e possivelmente até o último episódio William Walker será o grande vilão da série.

Nesta temporada Thommy Walker que vem sendo interpretado entre trancos e barrancos por Balthazar Getty vêm mostrando-se a imagem e semelhança do pai, mesmo que inconsciente o personagem está cometendo vários erros e alguns até muito semelhantes aos do William Walker, a demissão de seu irmão Kevin Walker e a saída de seu tio, Saul e da sua irmã Sarah da Ojai foram fatores que contribuíram para tudo isso. Mas com isso Balthazar ganhou uma boa trama que poderia ter tornado-se fantástica caso o personagem fosse interpretado por um ator com um nível acima, já que com sua atuação limitada à trama perdeu um pouco do seu brilho e seus limites ficam claros, principalmente na cena em que Norah Walker descobre a fraude de seu filho no jantar em que apresentaria o Ryan à família, aquela cena era para ser o show do Balthazar, mas não foi o que aconteceu foi justamente ao contrario, ele foi limitado e contido.

Mas quem ganhou com toda essa trama e a limitação do Balthazar foi Patricia Wettig, que aos meus olhos é perfeita, mas eu não sei se isso é devido a minha paixão por personagens de caráter duvido (já que não a considero uma vilã, mas sim uma vítima que adaptou-se ao jogo) ou se isso é porque realmente a Patricia é boa, já que tanto a personagem quanto a atriz dividem opiniões, a minha é totalmente favorável, Holly Harper só acrescenta a série e quando é lhe dado alguns espaço, as cenas são ótimas, como neste arco do Thommy tentando recuperar a Ojai. E com isso mais uma vez Holly brinca com a nossa imaginação. Será que ao desistir do processo contra o Thommy a personagem está sendo somente boazinha ou existe algum motivo obscuro por de trás disso?

E ainda com um reflexo da saída do Thommy, Sarah Walker volta para a Ojai Foods e com isso Rachel Griffiths só tende a ganhar, já que aquela trama da greenotipa não estava convencendo mais ninguém. Griffiths é uma atriz de prêmios e tem muito talento para isso, ela não pode ficar perdida em histórias bobas e deixar o tempo passar. Greenotipa foi um arco interessante no começo, mas não levou a Rachel e muito menos a série há lugar algum.

Mudando um pouco de assunto temos Kevin Walker, que no momento vem merecendo ter todo o destaque já que Matthew Rhyns nunca esteve mais à vontade com o papel e convenhamos que os roteiristas estão sendo extremamente generosos com o ator. Kevin é um dos melhores personagens da série e nesta temporada com todas suas tramas está ficando ainda melhor, já que com a demissão da Ojai (que não havia como não sentir pena do personagem) ele vai trabalhar com seu cunhado, o Senador McCallister e isso tinha tudo para ser estranho já que um é republicano, o outro é democrata, mas com a devida condução do roteiro foi perfeito e a química entre Rob Lowe e o Matthew é ótima. Mas apesar dessa trama com o Senador ser realmente boa foi no episódio “Father Dreams” que Matthew mostrou o seu melhor e meus adorados “reflexos de temporadas atrás” voltaram a aparecer.

kevrobert

Eu sempre fiquei curioso e ansioso pelo momento em que seria revelada a identidade do doador de esperma do pai da Elizabeth (filha do Thommy e da Julia) e algo me dizia, assim como dizia ao próprio Thommy e ao Kevin que ele era o pai e entre ele e o Justin realmente essa foi à melhor escolha. Confesso que o episódio foi meio corrido e isso poderia ter durado por mais tempo, talvez um dois ou três, mas o melhor mesmo veio no episódio seguinte às alucinações do Kevin e o medo de como reagir a tudo isso, a essa filha que ele não queria saber que tinha, foi administrado muito bem e a atuação do Matthew nesta situação é digna de um Emmy (talvez seja um fã falando).

E falando no Emmy essa temporada de “Brothers & Sisters” preparou um episódio especialmente para a premiação. Com a intenção clara de fazer Calista Flockart ser uma das indicadas este ano surgiu o episódio evento da série, esquema bem usado pela ABC, mas até então novo nesta série e posso dizer que o resultado foi satisfatório e provavelmente Calista conseguirá sua vaguinha entre as indicações (talvez seja um fã falando) [2].

Também com essa trama do episódio evento da série nós começamos a ver o casamento da Kitty com o Robert entrar em ruínas e essa trama está sendo tão bem apresentada e também de uma maneira quase que (inicialmente) imperceptível que tudo soou tão normal. Eu não sou casado e muito menos já terminei um casamento, mas imagino que realmente seja assim que um começa a ruir. E aproveitando que estou falando do relacionamento da Kitty e do Robert e também do episódio evento, o que foi aquela cena ao som de “Fix You”? Simplesmente perfeita. E aquele ataque do Robert foi tão bem feito, realmente impressionante.

Falando e falando sobre os filhos dos Walkers não há como não citar a matriarca. Sally Field não está tendo uma trama tão privilegiada até porque ela sempre está presente na vida dos filhos e com isso arranca boas cenas das tramas dos outros personagens, como no parto do filho da Kitty ou ainda em toda a trama do fraude Thommy. O máximo que Norah desenvolveu essa temporada foi seu projeto e um possível futuro namorado, mas nada que anime, mas também nada que desanime já que Sally Field sempre terá uma trama dentro da série, já que é sua personagem quem rege tudo. E foi assim, com Norah comandando tudo que Ryan finalmente apareceu e com um potencial para vilãozinho. Mas cá entre nós, o personagem é bem insuportável.

rebjulsaul

O único problema que estou encontrando na série é menosprezar alguns de seus personagens, principalmente Sarah, que aparece ter ganhado uma trama relevante. Julia, que eu adoro e sei que sua interprete tem potencial. Tio Saul, que serve somente com a figura masculina madura na vida de Norah, ou como o gay maduro na vida do Kevin. E ainda outra menosprezada é Rebecca. Todas as personagens interpretados por atores brilhantes e que qualquer produtor mataria para ter na sua série, mas que em “Brothers & Sisters” com tantos outros grandes nomes e “revelações” ficam apagados. Brevemente será exibido nos EUA o episódio “Julia” que provavelmente dará destaque total a personagem, que por sinal é mais esnobada.

Enfim, finalmente estou junto com a exibição americana e louco pelo próximo episódio. Será que Sarah vai dar conta da Ojai? Será que Holly vai ficar boazinha por muito tempo? Será que o Thommy irá voltar? Muitas respostas que terão respostas em breve, nesta reta final da temporada que parece que irá ser a melhor, ou pelo menos mais tensa e cheia de momentos dramáticos.

PS: Desculpem o texto gigante!

  1. 15 abril, 2009 às 4:21 pm

    Tenho orgulho de Brothers and Sisters, pq foi a primeira série q eu ‘descobri’.. todas as séries q eu acompanho hj e q estão da 3ª temporada pra frente, foram indicações de amigos, exceto essa q eu vi primeiro e indiquei pra todo mundo! rs é meu xodó, meu guilty pleasure q msm qnd eu chatinha eu adoro. sou suspeito pra falar, mas ainda assim eu digo q essa temporada está sendo a melhor pra mim. Apesar de algumas tramas perdidas, eu acho q essa é a temporada q mais vem acertando ao construir as relaçoes entre eles. seja do ponto d vista emocional ou profissional, aqui se perdeu um pouco com a Sarah fora da Ojai, mas ela já ta voltando e o erro vai ser corrigido. =) Enfim, adoro a série e espero o desfecho dessa temporada e q mts outras ainda venham.

  2. 15 abril, 2009 às 6:07 pm

    Má já acabou de cobrir a terceira de ‘manos e manas’ =P

    Poxa eu começo hoje, junto com o UC e como tu já viu essa temporada, espero teus comentários sobre os episódios lá no blog :}

    Sem dúvidas, Brothers & Sisters é uma das melhores séries do momento, a segunda temporada foi um pouco caída, mas claro que isso foi culpa da greve, espero que essa temporada esteja tão boa quanto a primeira.

    Abração.

  3. 17 abril, 2009 às 3:54 pm

    Bom a melhor temporada de B&S o tao esperado evento, as reviravoltas na trama, os misterios, segredos, intriga uma temporada bem dosada com um show de interpretasão de Sally, Rachel, temporada mais do que perfeita, to ansioso aqui para os episodios finais

    abraçoss

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: